380 - AMOR

Qual o adorno desta vida?
É o amor, é o amor;
Alegria é concedida,
Pelo amor, pelo amor.
É benigno é paciente,
Não se torna maldizente;
Não se torna maldizente,
este meigo amor!

Com suspeitas não se alcança,
Doce amor, doce amor;
Onde houver desconfiança,
Ai do amor, ai do amor.
Pois mostremos tolerância,
Muitas vezes arrogância;
Muitas vezes arrogância,
murcha e mata o amor!

Inda quando for custoso,
Nutre amor, nutre amor;
Ao irado e mui furioso,
Mostra amor, mostra amor.
Não te des por insultado,
Mas responde com agrado;
Mas responde com agrado,
vence pelo amor!

Não te irrites mas tolera,
Com amor, com amor;
Tudo sofre, tudo espera,
Pelo amor, pelo amor.
Desavenças e rancores,
Não convém a pecadores;
Não convém a pecadores,
salvos pelo amor!

Pois irmão ao teu vizinho,
Mostra amor, mostra amor;
O valor não é mesquinho,
Deste amor, deste amor.
O supremo Deus nos ama,
Cristo para os céus nos chama;
Cristo para os céus nos chama,
onde reina amor!