498 - BELA CIDADE

Tenho lido da bela cidade, Construída por Cristo nos céus;
É murada de jaspe luzente, E juncada áureos troféus.
E no meio da praça eis o rio, Do vigor e da vida eternal;
Mas metade da glória celeste, Jamais se contou ao mortal.

Jamais se contou ao mortal, Jamais se contou ao mortal;
Metade da glória celeste, Jamais se contou ao mortal!

Tenho lido das belas moradas, Que Jesus foi no céu preparar;
Onde os crentes fiéis para sempre, Mui felizes irão habitar.
Nem tristeza nem dor nem gemidos,
Entrarão na mansão paternal;
Mas metade do gozo celeste, Jamais se contou ao mortal.

Jamais se contou ao mortal, Jamais se contou ao mortal;
Metade da glória celeste, Jamais se contou ao mortal!

Tenho lido das vestes brilhantes,
Das coroas que os santos terão;
Quando o Pai os chamar e disser-lhes:
Recebei o eternal galardão.
Tenho lido que os santos na glória,
Pisarão ruas de ouro e cristal;
Mas metade da glória celeste, Jamais se contou ao mortal.

Jamais se contou ao mortal, Jamais se contou ao mortal;
Metade da glória celeste, Jamais se contou ao mortal!

Otis F.Presbrey (1820-1901)
Jonathan Bush Atchinson (1840-1882)