521 - JERUSALÉM

Dormindo no meu leito em sonho encantador,
Um dia eu vi Jerusalém, e o templo do Senhor
Ouvi cantar crianças, e em meio a seu cantar;
Rompeu a voz dos anjos do céu a proclamar.
Rompeu a voz do anjos, do céu a proclamar!

Jerusalém, Jerusalém, cantai ó santa grei;
Hosana, hosana! hosana ao vosso Rei!

Então o sonho se alterou, não mais o som feliz,
Ouvia das hosanas dos coros infantis.
O ar em torno se esfriou, do sol faltava a luz;
E num alto e tosco monte vi o vulto de uma cruz.
E num alto e tosco monte vi o vulto de uma cruz!

Jerusalém, Jerusalém, aos anjos escutei;
Hosana, hosana! hosana ao vosso Rei!

Ainda a cena se mudou, surgia em resplendor,
A divinal cidade morada do Senhor
Da lua não brilhava a luz, nem sol nascia lá;
Mas só fulgia a luz de Deus
Mui pura em seu brilhar.
E todos que queriam sim, podiam logo entrar;
Na mui feliz Jerusalém, que nunca passará
Na mui feliz Jerusalém, que nunca passará

Jerusalém, Jerusalém, teu dia vai raiar;
Hosana, hosana, hosana sem cessar!
Hosana, hosana, hosana sem cessar!

Stephen Adams
F.E.Weatherly